“Não estou em condições”: Carolina Deslandes assume vontade de fazer pausa na carreira

Carolina Deslandes ponderou “parar de trabalhar até ao fim do ano”, mas um conselho do manager convenceu-a a não fazê-lo. “Preciso de estar sozinha”, disse, há um mês, a cantora.

06 Set 2021 | 19:22
-A +A

Carolina Deslandes quis fazer uma pausa na carreira, mas o seu manager conseguiu convencê-la a não o fazer. A revelação surgiu, esta segunda-feira, “um mês” depois de um telefonema que fez ao profissional que gere a sua carreira no qual revelou a vontade de “parar de trabalhar até ao fim do ano”.

“Não estou em condições de estar em público, não quero que as pessoas me vejam triste. Preciso de estar sozinha”, disse Carolina Deslandes ao seu manager, como a própria partilha agora com os fãs.

“Ele, que me conhece tão bem, disse-me que respeitaria a minha vontade, mas que achava que, se eu ficasse sem música e sem cantar, ia ficar 10 vezes pior. Porque eu não faço isto para trabalhar, faço para sobreviver. E não é financeiramente, é emocionalmente. Ele tem razão (como aliás acontece muitas vezes), se eu estivesse no buraco, mas estivesse sem música e sem as pessoas, não sei se seria capaz de avistar luz”, acrescentou.

 

Carolina Deslandes: “Pensei ‘eu tenho mesmo muita sorte'”

 

Carolina Deslandes continuou a escrever e falou sobre o espetáculo que deu este domingo à noite, 5 de setembro. “Ontem, depois do concerto, pensei ‘eu tenho mesmo muita sorte. As pessoas acolhem-me com muito amor’ e é isso mesmo – acolhem-me. Ontem, cada um de vocês tinha um bocadinho do meu coração partido na mão. E mostraram-me que o artista também pode pedir colo. Que, afinal, somos todos pessoas”.

“A vida tem este jeito de ser, dura às vezes, por isso é que Deus nos fez em grupo. Para que o fardo não seja só nosso. E por isso é que fez as canções – para desenharmos a esperança na dor, e cantarmos a chamar o futuro”, disse. “Nunca digam a uma pessoa desolada ‘já viste a sorte que tens? Tens isto, tens aquilo’. A pessoa sabe. Isso só lhe traz mais culpa. Digam-lhe que, apesar de tudo o que tem, é ok não estar bem. E que pode pedir ajuda. E que não há dor que dure a vida inteira. Somos todos só pessoas. A tentar e a falhar muito”, concluiu Carolina Deslandes.

 

Texto: Patrícia Correia Branco; Fotos: reprodução redes sociais

PUB
Top