Mário Ferreira, dono da TVI, constituído arguido em processo judicial

A empresa de Mário Ferreira, Douro Azul, foi alvo de buscas nesta quarta-feira devido a indícios de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais.

07 Jul 2022 | 12:30
-A +A

Mário Ferreira, dono da TVI, foi constituído arguido no processo relativo à venda do navio Atlântida. A notícia está a ser avançada pelo jornal online ECO, do qual o empresário é acionista. De acordo com esta publicação, foi o próprio quem pediu para ser constituído arguido e para ser ouvido “com brevidade”.

A Douro Azul foi alvo de buscas na manhã desta quarta-feira, 6 de julho, por parte do Departamento Central de Investigação e Ação Penal e a Autoridade Tributária, devido a indícios de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais no negócio da compra e venda daquela embarcação. O navio foi vendido à empresa de Mário Ferreira em julho de 2014, por cerca de nove milhões de euros. Mais tarde, foi comprado pela Noruega por 17 milhões. Terá custado ao Estado português cerca de 40 milhões.

O advogado de Mário Ferreira, Nuno Bizarro, garantiu, em declarações aos jornalistas, que estão a colaborar com as autoridades, mas escusou-se a avançar mais detalhes: “Não posso confirmar mais porque está em segredo de Justiça”, justificou. Já em comunicado, citado pelo Eco, a Douro Azul confirmou “a realização de buscas às suas instalações no Porto pela Autoridade Tributária e Aduaneira e pelo DCIAP [Departamento Central de Investigação e Ação Penal], no âmbito das dinâmicas de denúncia da Dra. Ana Gomes sobre a aquisição do navio Atlântida e a concretização de uma solução para os Estaleiros Navais de Viana do Castelo”.

Ontem, Mário Ferreira disse, nas redes sociais, não ser “acusado de nada” nem “arguido em nenhum processo”, caso que agora muda. O dono da TVI acusou ainda Paulo Fernandes, presidente do grupo Cofina, de o ter ameaçado. “O meu ‘amigo’ Paulo Fernandes, em maio de de 2020, prometeu-me que me ‘destruía a vida’ caso eu avançasse com a compra da Media Capital”, escreve o dono da TVI nas redes sociais. “Hoje, o seu Correio da Manhã uma vez mais lança um ataque feroz. Eles sabem que não estou acusado de nada, não sou arguido em nenhum processo. A união de Ana Gomes a enviar cartas com falsas acusações e o CM em parceria a aproveitar para fazer notícias, parece para eles um modelo virtuoso para vender jornais… Ao meu ‘amigo’ Paulo irei sempre responder com obra feita e nunca lhe farei a ele aquilo que não gosto que me estejam a fazer a mim. São estilos”, terminou.

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: Impala e D.R.

PUB