D’ZRT não eram para se chamar D’ZRT. Nem vai acreditar em quem escolheu o nome da banda

O nome original dos D’ZRT era… Mecânica. Contudo, Angélico Vieira, Cifrão, Paulo Vintém e Edmundo Vieira não gostaram e pediram ajuda a Patrícia Tavares, colega de elenco em “Morangos com Açúcar”.

01 Jan 2022 | 21:33
-A +A

Quinze anos depois, descobrimos que os D’ZRT não eram para se chamar D’ZRT. Sim, é isso mesmo. A revelação torna-se ainda mais surpreendente quando se sabe que nome a TVI queria ter dado à banda: Mecânica. A história foi dada a conhecer por Patrícia Tavares, na emissão especial dedicada ao quarteto recentemente transmitida pela TVI Ficção e apresentada por Ana Rita Clara.

Num depoimento gravado pela própria, a atriz recorda Angélico Vieira, Vítor Fonseca (Cifrão), Paulo Vintém e Edmundo Vieira como “quatro miúdos cheios de vontade de aprender”. “Quando apareceram, estavam cheios de vontade que tudo corresse bem e que vingassem nesta profissão. E conseguiram”, vincou.

Depois, Patrícia Tavares conta a tão inesperada história. Na altura, recorde-se, a atriz era colega de elenco dos quatro jovens, assumindo o papel de professora Bárbara na segunda temporada de “Morangos com Açúcar”. “Há um dia em que calha eles gravarem uma cena em que iam revelar o nome da banda. E o nome da banda seria Mecânica, porque tinha a lógica de que eles ensaiavam na oficina do pai da Ana Luísa [a protagonista daquela temporada da série da TVI, Cláudia Vieira]. Mas eles não gostaram. A quem é que eles foram pedir ajuda? A mim”, lembrou.

“Nesse dia, eu estava meio adoentada, com febre e tal, e estava na sala de maquilhagem. Estávamos numa pausa e os quatro vieram ter comigo. Entraram pela sala de maquilhagem e dizem: ‘Nós vamos agora gravar uma cena em que vamos revelar o nome da banda. É Mecânica e nós não queremos ser Mecânica'”, prosseguiu Patrícia Tavares.

“Sem saber como solucionar” este problema mas ciente de que os D’ZRT “estavam tão tristes e a cena era para ser gravada”, a atriz teve a certeza de que “devia fazer-se alguma coisa”. E fez.

“Num momento de grande inspiração – que até hoje não consigo entender o que aconteceu, talvez a febre -, escrevi os nomes deles e, quase à primeira, pegando nas primeiras letras do nome de cada um deles [das personagens David, Zé Milho, Ruca e Topê], percebi que aquilo dava para escrever D’ZRT. ‘Desert’ é ‘sobremesa’ em inglês e sobremesa pode ser morangos com açúcar”, explicou.

A sugestão foi aceite e o êxito do quarteto inquestionável. “A verdade é que a banda foi um grande, grande sucesso e eu tenho muito orgulho por tudo o que eles alcançaram”, sublinhou Patrícia Tavares, acrescentando que Cifrão, Paulo Vintém e Edmundo Vieira “merecem todo o amor, toda a felicidade e todo o sucesso do mundo”.

Os D’ZRT separaram-se em 2007, tendo-se voltado a reuniu dois anos depois para editar um terceiro trabalho discográfico: “Project”. Dois anos depois do reencontro, em 2011, Angélico Vieira morreu na sequência de um trágico acidente de viação.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB