Carlos M. Cunha: Padre de “Festa é Festa” recorda ‘brigas’ com César Mourão

Carlos M. Cunha, que dá vida ao padre Isidro na novela da TVI, e César Mourão são amigos há mais de 20 anos, mas, no passado, tiveram alguns desentendimentos por causa de trabalho.

12 Set 2021 | 16:40
-A +A

Carlos M. Cunha, o padre Isidro de “Festa é Festa”, é amigo de César Mourão há vários anos e recordou momentos em que os dois brigavam muito. O ator da novela da TVI um dos elementos dos Commedia a La Carte, juntamente com o humorista e Ricardo Peres, e conta que chegou a haver “porrada” no início da carreira.

Numa entrevista a uma revista semanal, Carlos M. Cunha conta que, quando era novo, teve vários empregos, mas que aos 34 anos resolveu seguir o seu sonho e começou a colaborar no Chapitô. “É lá que conheço o César Mourão e o Ricardo Peres, um animal em palco, supergiro a trabalhar”, disse, explicando que os improvisos na famosa escola de artes circenses foi o início dos Commedia a la Carte. O grupo foi convidado para representar no Café da Ponte, nas docas em Alcântara, e o produtor de televisão Manolo Bello fica encantado com o talento deles: “Disse-nos que pagava X para começarmos a trabalhar na semana seguinte. F*****, nunca tinha visto tanto dinheiro! Assinámos logo.”

Apesar da forte amizade que sempre os uniu, as desavenças por causa de trabalho também eram muitas. “Discutíamos bué, havia porrada. Mais ele [César Mourão] e o Ricardo. Eu nunca briguei fisicamente com o César, mas era ao ponto de se ouvir no café. Brigávamos porque o César era o certinho e nós éramos os loucos”, disse à TV Guia, continuando a recordar o passado: “Cheguei a ir com os copos para cima do palco. Isso, para o César, era uma doença. Ele ainda hoje é rigoroso, superprofissional. Ele certinho e nós os dois no deslumbramento. Copos à borla, havia dinheiro com fartura. Ganhávamos na televisão. O dinheiro dos bares nem chegava a casa. Ficava na discoteca W, ficava aqui, ficava ali. Ficava onde calhava.”

Nesta mesma entrevista à TV Guia, Carlos M. Cunha contou também que dormiu na rua. “Dormi em montes de sítios. Se queria tomar banho, ia aos bombeiros. Eu era ‘freak’, mas era limpinho. Não suportava estar a vender e ser feio, porco e mau. Sou artesão, não tenho de ser porco”, contou a nova estrela da TVI, que recentemente ficou noivo de Marisa Lopes Carvalho, de 33 anos: “Sempre fui muito apaixonado. E aquela que é, é para a vida. Enquanto estou numa relação, dou tudo. Só assim faz sentido”. Sobre o casamento, o ator revela: “A Marisa merece um sítio de sonho. Ela quer uma festa bonita, que ser princesa, e eu quero proporcionar-lhe isso.”

Texto: Patrícia Correia Branco; Fotos: Reprodução redes sociais e Divulgação TVI

 

PUB
Top